Pesquisar neste blog

20 de janeiro de 2017

Depressão: o que é isso?


A depressão é um mal, uma doença, que afeta o humor da pessoa, deixando-a durante boa parte do dia e quase todos os dias com uma sensação de tristeza e incompetência.

Se perde o interesse pelas atividades que costumava apreciar, tem cansaço crônico, ou seja, sensação de sono e cansaço sem ter feito nada demais que justifique etc.

Infelizmente é um distúrbio bastante comum nos dias de hoje que pode afetar qualquer pessoa. Ao contrário do que muitos pensam, a depressão não é sinônimo de fraqueza ou fracasso e também não é apenas um sentimento de tristeza. Muitas pessoas se sentem tristes e dizem estar deprimidas, popularmente dizem estar "deprê" porém, a depressão é uma tristeza mais intensa e permanente do que a tristeza passageira a qual todos estamos sujeitos que é a sensação passageira de melancolia.

Alguns exemplos de fatores que podem desencadear a depressão:                               
- Estresse e estilo de vida, trabalhar em demasia sem horários para descanso ou lazer
- Histórico familiar, familiares que tiveram comprovadamente depressão
- Uso de drogas, álcool e alguns medicamentos                         
- Determinados acontecimentos tais como doenças, morte, acidentes, separações conjugais

Alguns dos principais sintomas:
- Tristeza profunda as vezes sem motivo 
- Desesperança, sensação de incompetência, sente-se incapaz de fazer uma atividade que realizava com facilidade 
- Perda de interesse na vida e nas atividades que costumava realizar
- Cansaço crônico sem causa
- Dificuldade para se concentrar
- Variação no apetite que pode ser o excesso ou a falta
- Sono excessivo ou insônia
- Agressividade pode ocorrer  ou passividade
- Ostracismo, vontade de não se socializar, de não sair ou ter contato com pessoas
- Descuido com a aparência e a higiene pessoal até a falta- Ideação suicida desde a idealização ate a tentativa nos casos mais graves

A depressão é uma doença curável se tratada adequadamente, em muitos casos pode ser acompanhada apenas por um Psicanalista e em outros mais graves onde há a ideação ou tentativas de suicídio, sintomas psicóticos, entre outros, é necessário um tratamento conjunto com um psiquiatra, o qual receitará medicamentos.

A ida ao Psiquiatra não se retira a importância do acompanhamento de um Psicanalista, pois o remédio por si só não cura, apenas ameniza os sintomas. É preciso investigar as causas e para isto, as sessões de psicoterapia são essenciais.

A depressão é como a ilustração desse texto, a pessoa "vê" tudo cinza e seus atos são subestimados por si, tem perda do prazer das pequenas coisas até pela vida. Procure um profissional Psicanalista e também praticar atividades físicas e caminhar ao ar livre ajudam muito no tratamento além de convivo social saudável.

-------
Duvidas? Sugestões? Me contate, pode ser por WhatsApp (11) 985222560, posso demorar um pouco para responder caso esteja em consulta, mas pode deixar a mensagem. Agradeço muito sua visita!

6 de dezembro de 2016

Eu Quero Ser Feliz - 6 Conselhos de Dr. Tal Ben-Shahar


Objeto de estudo de psicologia da Universidade de Harvard nos Estados Unidos, curso ministrado pelo Professor de Psicologia Dr. Tal Ben-Shahar, pode nos dar a ideia da importância que tal estado emocional tem em nossa vida atualmente.

Esse assunto abstrato é estudado pela psicologia do Doutor Shahar que a define como “a ciência da felicidade” e de fato diz que a alegria pode ser aprendida como por exemplo uma pessoa aprende a jogar golfe ou a andar de bicicleta, ou seja, com técnica e prática.
Para o Professor não é preciso ser perfeito para levar uma vida mais rica e mais feliz, o segredo parece estar em “aceitar a vida tal como ela é”, assim “o libertará do medo e do fracasso e das expectativas perfeccionistas”, preconizado em seu best-seller mundial “Being Happy”.

Mas será que alguma vez temos felicidade suficiente? O Professor explica: “é precisamente a expectativa de sermos perfeitamente felizes que nos faz ser menos felizes”.

Aqui estão os 6 conselhos principais do professor para ajudar as pessoas a se sentirem felizes:

1. Perdoe seus fracassos. E mais: festeje-os! “Assim como é inútil se queixar do efeito da gravidade sobre a Terra, é impossível tentar viver sem emoções negativas, já que fazem parte da vida e são tão naturais quanto a alegria, a felicidade e o bem-estar. Aceitando as emoções negativas, conseguiremos nos abrir para desfrutar a positividade e a alegria”, diz o especialista. Aceitar a vida como ela é o libertará do medo do fracasso e das expectativas perfeccionistas.

2.Não veja as coisas boas como garantidas, mas seja grato por elas.  Agradeça sempre mas de alma, agradeça honestamente. Coisas grandes ou pequenas. “Essa mania que temos de achar que as coisas são garantidas e sempre estarão aqui têm pouco de realista.”

3.Pratique algum esporte. Para que isso funcione, não é preciso malhar numa academia até se cansar ou correr 10 quilômetros por dia... Pratique algum exercício suave, como caminhar em passo rápido por 30 minutos diários, para que o cérebro secrete endorfinas, essas substâncias que nos fazem sentir-nos “drogados” de felicidade, porque na realidade são opiláceos naturais produzidos por nosso próprio cérebro, que mitigam a dor e geram prazer. A informação é do corredor especialista e treinador de Easyrunning Luis Javier González.

4. Simplifique, no lazer e no trabalho. “Precisamos identificar o que é verdadeiramente importante e nos concentrar sobre isso”, propõe Tal Ben-Shahar. Já se sabe que quem tenta fazer demais acaba conseguindo realizar pouco, e por isso o melhor é se concentrar em algo e não tentar fazer tudo ao mesmo tempo. O conselho não se aplica apenas ao trabalho, mas também à área pessoal e ao tempo de lazer: “É melhor desligar o telefone e se desligar do trabalho nessas duas ou três horas que você passa com a família”.

5. Aprenda a meditar. Esse hábito simples combate o estresse. Doutora Mirian Soubirana, da Universidade de Barcelona, escritora e professora de meditação e Mindfulness, assegura que “no longo prazo, a prática regular de exercícios de meditação ajuda as pessoas a enfrentar melhor as armadilhas da vida, superar as crises com mais força interior e ser mais elas mesmas baixo qualquer circunstância”. Ben-Shahar acrescenta que a meditação também é um momento conveniente para orientar nossos pensamentos para o lado positivo; embora não haja consenso de que o otimismo chegue a garantir o êxito, ele lhe trará um grato momento de paz.


6. Treine uma nova habilidade: a resiliência. A felicidade depende de nosso estado mental, não de nossa conta corrente. Concretamente, “nosso nível de felicidade vai determinar aquilo ao qual nos apegamos e a força do sucesso ou do fracasso”. Isso é conhecido como Locus de Controle, ou “o lugar em que situamos a responsabilidade pelos fatos” – um termo descoberto e definido pelo psicólogo Julian Routter em meados do século 20 e muito pesquisado com relação ao caráter das pessoas: os pacientes depressivos atribuem seus fracassos a eles próprios e o sucesso a situações externas à sua pessoa, enquanto as pessoas positivas tendem a pendurar-se medalhas no peito, atribuindo os problemas a outros.

Mas assim perdemos a percepção do fracasso como “oportunidade”, algo que está muito relacionado à resiliência, conceito que se popularizou muito com a crise e que foi emprestado originalmente da física e engenharia, áreas nas quais descreve a capacidade de um material de recuperar sua forma original depois de submetido a uma pressão deformadora. “Nas pessoas, a resiliência expressa a capacidade de um indivíduo de enfrentar circunstâncias adversas, condições de vida difíceis e situações potencialmente traumáticas, e recuperar-se, saindo delas fortalecido e com mais recursos”, diz o médico psiquiatra Roberto Pereira, diretor da Escola Basco-Navarra de Terapia Familiar.

Acrescentaria algo mais: "liberte sua criança interior", viva sem sofrer pelo futuro, não cometa o erro de que ser responsável é ser uma pessoa preocupada.

E Você acrescentaria mais? Gostou ou não do texto? Procurei adaptar e resumir um pouco, encontrei em uma antiga revista e achei interessante mas já tratei desse assunto aqui nesse texto onde resumi também um texto que encontrei na internet. 

1 de novembro de 2016

Metáfora sobre a Autoestima

Encontrei essa metáfora sobre a Autoestima e decidi colocá-la na integra, muito interessante e bastante sucinto, vale uma reflexão. A autoria é desconhecida. 
Se um dia alguém fizer com que se quebre a visão bonita que você tem de si, com muita paciência e amor, reconstrua-a.
Assim como o artesão recupera a sua peça mais valiosa que caiu no chão, sem duvidar de que aquela é a tarefa mais importante, você é a sua criação mais valiosa.
Não olhe para trás. Não olhe para os lados.
Olhe somente para dentro, para bem dentro de você e faça dali o seu lugar de descanso, conforto e recomposição.
Crie este universo agradável para si. O mundo agradecerá o seu trabalho.

26 de outubro de 2016

Dicas Sobre Terapia


Veja algumas dicas para dar os primeiros passos e enfrentar a Terapia como uma atividade benéfica, complementa um outro texto que escrevi aqui  ou aqui anteriormente:

Terapia não é remédio

A Psicanalise criada e desenvolvida pelo Dr. Sigmund Freud, no início do Século 20, é baseada na conversação, na associação livre, assemelha-se a uma conversa comum mas só que não. Em muitos casos o Paciente vai a Terapia com alguma problemática e consegue elaborar e esclarecê-la na “base da conversa”, o Terapeuta vai orientar o Analisando diante das teorias sobre a psique humana de modo que isso possam ser aplicadas no seu cotidiano para melhor elaborar aquela ou aquelas questões trazidas em sessão, fazendo também entender, melhorar e o porquê melhorar.  
Há casos que se faz necessário de remédios alopáticos, químicos, mas depende muito do caso, da questão, por exemplo a depressão dependendo do estágio é tratada com o auxílio de medicamentos prescritos por um psiquiatra para se quebrar algumas questões causados pela patologia.

Não é coisa de louco ou doente mental

A Psicanálise não se direciona somente as pessoas que sofrem de algum mal mental, mas desde questões mais cotidianas como problemas com relações em família ou vida profissional podem assumir um grande peso na sua vida e não parecer mais ter solução, pois ai um Psicanalista pode e vai te ajudar muito a esclarecer e elaborar essas questões que se tornaram complexas demais para Você. É algo extraordinário se submeter ás sessões de Terapia, uma grande viagem interior.

Alguns Profissionais não irão te agradar

Todos somos seres humanos antes mesmo de profissionais, apesar da necessidade de se manter o prumo profissional e o distanciamento para com o Analisando temos manias, modos de agir e de pensar, então nem todos irão te agradar. Se numa primeira visita o profissional não lhe agradar tente novamente e se isso persistir tente outro profissional. É necessário ter empatia com o Terapeuta para que se sinta bem e a conversa flua bem. 

Segredos seguros

A sessão de Terapia é o melhor momento para que Você revele seus segredos e tire suas dúvidas ou apenas falar o que lhe desagrada naquele momento, como um “desabafo”. Não tenha medo ou receio, mesmo as confissões mais secretas e temíveis estarão à salvo. Por mais que aparente um simples bate-papo você está à frente de um profissional, suas conversas estão salvaguardadas também pela legislação brasileira e internacional inclusive, e o profissional não tem intenção maior de que lhe guiar com base em suas confissões.

Cada um no seu quadrado

Muitas vezes ouvimos que um amigo foi a um Psicanalista e continua estressado apesar de estar sendo analisado e por vezes toma algumas medicações que seu caso será assim também.
Somos diferentes, cada um tem um estilo de vida, personalidade distinta e, portanto, um tratamento também diferente. Além disso, os profissionais e métodos também são diversos.
Não tome decisões apenas na experiência alheia, as conversas terapêuticas que Você terá com o profissional são muito intimas e pessoais, são únicas, personificadas e incomparáveis.

Aceitação de ajuda

O primeiro passo é aceitar que Você está indo atrás de ajuda, o fato de estar procurando fazer Terapia não o faz menos que ninguém ou um indicativo de vergonha, é até um motivo para Você se sentir bem com essa atitude e se há alguém que pode lhe ajudar porque recusar?

Sem data

É impossível prever por quanto tempo será necessário frequentar a Terapia. Há questões mais pontuais, podendo o tratamento ser curto com resposta e atitude imediatas. Mas, isso não significa que você precisa parar de fazer Terapia, ela sempre irá lhe ajudar com questões da vida, por isso, não há um prazo certo para frequentá-la ou não. Essa decisão depende muito das suas próprias sensações, intenções e também resultados daquele acompanhamento.

Alerta da consciência

Sentimos incômodos muitas vezes com algo na vida e não sabemos identificar o que é. Sentimento de que algo está fora do lugar ou algo precisa mudar. Insatisfações com questões do nosso corpo e/ou mente. São sinais que você está perdido em si mesmo e de que a melhor opção é procurar a Terapia. O seu próprio corpo está indicando a necessidade de ajuda, não renegue isso.

Desmistifique

Dê o ponta pé inicial e vá à uma sessão, você verá que a terapia não é necessariamente aquela cena em que você está deitado num divã e um velho homem te escuta. Tente algumas opções e veja como se sente melhor, este é um investimento em você mesmo!

É uma grande e maravilhosa viagem repleta de descobertas, a primeira que Você é a pessoa mais importante para si mesmo e que merece toda a atenção para enxergar dentro de si as resoluções de questões que te incomodam.

-------

Informações ou Sugestões para novos artigos, sobre a Terapia, Psicanalise entre outras: Whatsapp 985 222 560  ou  mmagoga@live.com, agradeço sua visita!